domingo, 14 de dezembro de 2014

High Noon

Não tem abandona, oh, querida 
É complicado, eu se----ei! 
Não me abandona, oh, queri---da 
Sempre te amarei

Já não sei mais que mal me espera 
Coragem sei que hei de te-er 
Para enfrentar com tal cautela 
Ou um covarde, sempre covarde 
Ou um covarde eu hei de ser!

Eis-me quebrado: amor, respeito 
Não há beleza em meu peito 
Cerra o punho pois já está 
Ao meio dia 

Ele jurou em seu exílio: 
“A vida d’outro eu retiro” 
Não temo a morte mas, porém
Quem hei de ser, se fugires?


Não me abandona, oh, querida 
Recorda as juras que me fez! 
Não me abandona, oh, querida 
Estás sofrendo, mas vai vivendo 
Pois eu preciso te amar! 

Adaptação do original "High Noon" (Do not forsake me)

Do not forsake me, oh, my darlin',
On this, our wedding day.
Do not forsake me, oh, my darlin',
Wait; wait alone.
I do not know what fate awaits me.
I only know I must be brave.
For I must face a man who hates me,
Or lie a coward, a craven coward;
Or lie a coward in my grave. 

Oh, to be torn 'twixt love an' duty.
S'posin' I lose my fair-haired beauty.
Look at that big hand move along,
Nearing high noon. 

He made a vow while in state prison:
Vowed it would be my life for his an',
I'm not afraid of death but, oh, what shall I do,
If you leave me? 

Do not forsake me, oh, my darlin':
You made that promise as a bride.
Do not forsake me, oh, my darlin'.
Although you're grievin', don't think of leavin',
Now that I need you by my side. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário