sexta-feira, 22 de junho de 2012

Ontem eu assisti Prometheus

Foi no cinema do Shopping, a propósito, o único de minha cidade. Uma típica ida ao shopping com a galera, check-ins no face, milhares de fotos no instagram. Óculos 3d de baixa qualidade, e somos vítimas do monopólio... Mas a intenção aqui não é falar sobre meu passeio, e sim sobre minhas impressões do filme. Para começar, direi que curto bastante Star Trek e Star Wars, as típicas Space-Sy-Fy. Cheguei, já tinha passado uns 8 minutos do filme, mas nada que impedisse minha contemplação da obra.

Info Aviso: Este artigo ou seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

Devo dizer que gostei do filme, mas esperava um pouco mais. Talvez tenha perdido muita coisa por não ter assistido Alien, tanto que até ficava um pouco confuso em algumas partes do filme. Vamos falar um pouquinho sobre a história do filme, que se passa em 2093. Cientistas descobrem uma espécie de 'mapa estrelar' em várias civilizações, que não tiveram nenhum contato umas com as outras. Eles logo interpretam ser um convite, dos Engenheiros que nos criaram. Então, vão em busca deles, com uma nave chamada Prometheus, e um android chamado Dave para monitorar os tripulantes, enquanto hibernam.

Chegaram. Uma lua distante, com atmosfera tóxica. Começa a exploração, e são descobertos espécies de túneis subterrâneos, com cadáveres e hologramas do que pensam ser os Engenheiros. Misteriosamente, lá em baixo o ar é respirável, logo eles não precisam de capacete. Há algumas salas, com cilindros misteriosos e uma escultura gigante, bem parecido com um humano. Os cilindros carregam algum tipo de substância orgânica e o robô Dave leva secretamente um deles pra Prometheus. Está provado que os Engenheiros realmente existem, mas parecem estar extintos.
Nave Prometheus: pouco aconchegante e nada bela
    /* Seria interessante falar que uma das cientistas parece ser cristã, e quando é provado que os Engenheiros nos criaram, seu marido, também cientista, fala para ela tirar a cruz que sempre carregava no pescoço. A réplica: "Quem os criou?" */


Voltando a nave, Dave infecta o marido da cientista cristã com um "besouro" preto, que estava no tubo. Este engravida a sua mulher, apesar de estéril. (aí um referência a Bíblia, á história de Sara e Abraão.). Porém não é um feto comum: é um alienígena. A cientista usa uma máquina de cirurgia e remove o corpo estranho. Agora a melhor parte: a missão toda foi patrocinada por um velho, que parecia estar morto. Engano seu, ele estava hibernando naquela mesma nave. Pretendia perguntar aos Engenheiros como não morrer de velhice, apesar de todas as contestações da cientista. "Você perdeu sua fé, Jó?" é o que diz o velho.

Dave, o android, descobre que ainda havia um engenheiro vivo, em hibernação, e leva o velho até ele. Ele não é muito educado, destrói tudo. Apenas a cientista consegue escapar. Detalhe que me esqueci: o marido da cientista havia sido incinerada pela chefe da missão, pois estava contaminado. O capitão supõe que aquilo era uma nave alien, com armas biológicas de destruição em massa. Corretíssimo, senhor. E o Engenheiro queria demolir seu próprio "prédio". Por que? Saberemos na continuação, que já foi prometida pelos produtores. Mas o que importa é que Dave diz isso a cientista, que pede para que a Prometheus tente impedi-lo. O capitão da nave suicida-se, e atira a própria nave contra a nave do Engenheiro.

Quem sobrevive? Só a cientista, que contamina um Engenheiro com sua própria arma biológica, e o Android. E eles partem para a terra do Engenheiros, para descobrirem o porquê disso tudo. No próximo capítulo.
Info Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).

Apesar de excelente filme, com uma história interessantíssima, faltou algo, eu senti. Algumas minúcias da história, talvez o mais interessante, não deu pra contar no breve resumo que fiz, por isso recomendaria a todos que assistissem o filme. O que faltou, então? Não sei ao certo. Diria que faltou um pouco de magia. A produção em muito me encantou, mas não chegou a me cativar. Mesmo assim, é uma ótima obra, atores bons, e que todos vocês deveriam conferir. Nota: 7,5. 

Faltou algo. Assistam para me dizerem o que foi.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Haicai

Estou a contemplar
O Universo
Contempla a mim

Reciprocidade - (CC) 2011 Daniel Cunha Rêgo