segunda-feira, 7 de março de 2011

As moscas são seres de outra dimensão.


Vale pontuar o fato de essa ser a primeira postagem do ano de 2011 do Massa de Calafetar em nossa dimensão.

Hoje, usando um mata moscas eletrônico, aquele que dá choque nos insetos para matá-los, descobri duas coisas interessantes sobre as varejeiras:

1 - As moscas têm uma percepção muito boa e são muito inteligentes: Eu chegava em um lugar, como a cozinha, desarmado do meu mata moscas e via umas 5 moscas. De fininho, voltava até a sala para armar-me e voltava para a cozinha, com movimentos sutis, e ao chegar lá, não havia mais nenhuma mosca. Voltava para a sala, abandonava o mata moscas e ia para a cozinha de novo e lá estavam elas denovo!

2 - A cada mosca que você mata, aparecem mais duas no lugar: Quando tinha a sorte de encontrar alguma mosca enquanto armado e a matava, checava novamente na casa toda à procura de outra. Não encontrava. Desarmava-me e ia fazer algo, como assistir TV. Dava comercial. Retornava à cozinha, para tomar água e o que eu encontrava: o dobro do número de moscas que havia matado.

O que isso nos permite concluir? As moscas são seres de outras dimensões. Existem várias teorias na física quântica que propõem a existência de outros universos. Segundo a maioria delas, é impossível interagir com eles, a não ser por falhas na tessitura do universo ou buracos de minhoca, portais para outras épocas, outros pontos do universo ou até para outras dimensões. Em uma dessas teorias, para cada ação realizada, o universo se divide, de modo que para cada possível resultado dessa ação seja comportado em um universo.

Na prática, isso significa que, ao atravessar a rua, por exemplo, o universo se divide para cada uma das possibilidades. Supomos que sejam duas: você chegar do outro lado ou você ser atropelado. Em um universo, você chegou do outro lado, e em outro, você foi atropelado e está lá, estirado no chão. Ou não.

Voltando a falar das moscas, é possível que elas não sejam da nossas dimensão. Segundo a minha teoria, a cada vez que uma mosca morre em nossa dimensão, o universo faz mais duas aparecerem para compensar a falta. E essas duas que aparecem, estão sempre em um raio de um kilômetro do local onde a última morreu. Entre o processo de morte e o de aparição de duas novas moscas, levaria no máximo um minuto terrestre.

Existiria um mundo só de moscas, em alguma dimensão. Lá, encontraríamos um número quase incalculável desses insetos. Por uma falha na tessitura do universo, as moscas desse universo passaram a ser enviadas para uma outra dimensão, a nossa dimensão e para o nosso planeta. Mas as imigrantes continuavam a conseguir se comunicar com a dimensão de onde vieram, mas apenas em momentos próximos à sua morte. Logo, quando estavam perto de morre, enviavam uma mensagem que era interpretada como um pedido de envio de mais duas moscas.

E aqui termina a nossa viagem mental pelo mundo das probabilidades. Apesar dessa teoria parecer muito estranha, pode ser verdade. Ou não.

P.S: Ao usar a palavra "dimensão" não quis me referir ao termo da geometria, mas sim à universos paralelos.